A Luz Formada Download PDF

A LUZ FORMADA

a luz era o Filho de Deus

By Lee Vayle

 

Muitos não conseguirem compreender aquilo que deveria ser de domínio de toda a Noiva, que estava se deixando levar por interpretações de homens que Lee Vaylese diziam crer na Mensagem, mas que, contudo, não estavam sendo fiéis àquilo que o profeta de Deus, William Branham, havia deixado.

 O irmão Branham expressamente afirmou que a única diferença entre Deus e Jesus era de que Jesus teve um começo enquanto que Deus não. Deus é eterno e Seu Espírito antecedeu a criação.

 Todos os filhos têm um começo e Deus tornou-Se Pai ao gerar um Filho Unigênito, o que significa que Jesus não foi propriamente criado, a criação que foi um ato posterior, é algo que veio a existir do nada, enquanto que Jesus foi formado da própria substância pré-existente de Deus a fim de que o Filho viesse a se tornar a expressão exata do Seu Ser.

 Se Jesus não é Deus, qual é então a Sua função?

 E a sua resposta é: servir de instrumento de Deus para a Sua criação e de gerar uma Semente que levaria consigo o mesmo gene de Deus.

 Entretanto esta raça eleita de Deus apesar de possuir a mesma Origem do Filho não viria à existência através do mesmo corpo-Palavra Dele, mas pela Sua soberana vontade, deveria vir ao mundo em carne humana para ser provada e tentada, a fim de que o Filho também servisse de Mediador entre o Pai e Seus irmãos.

 A fim de redimir a raça caída de Adão, foi necessário que o Filho viesse ao mundo exatamente como Adão veio, sem o nascimento sexual, a fim de restaurar sua posição outrora perdida ao derramar o Seu Sangue como propiciação pelos seus pecados.

 Como um Pai, Deus teve que sujeitar Seu Filho ao sofrimento para aprender a obediência exatamente como se dá a todos aqueles que são filhos.

 Agora, nas regiões celestiais, há um Filho assentado à direita de Deus Pai, aguardando o momento para revestir a Noiva com o Seu mesmo corpo-Palavra.

 Não há dois deuses. O que existe é um Deus que gerou um Filho e fora a diferença de ter sido gerado, o Filho é idêntico ao Pai, pois leva Consigo a Sua mesmíssima Palavra sendo totalmente submisso a Ela.

 E é exatamente nisto que todos os demais filhos de Deus se igualam ao Cordeiro e ao Pai, ao se identificarem com esta mesma Palavra.

 No entanto, na Nova Jerusalém, haverá uma árvore cujas folhas servirão de cura para as nações, que diz respeito a sua santificação, da qual o Filho não necessitará participar, mostrando uma distinta posição de Sua natureza frente aos Seus irmãos.

 Mas é somente no Milênio que o entendimento da Deidade será plenamente alcançado quando então a Noiva se aperceberá de que toda a Palavra falava de uma única coisa, a saber, do grande e perfeito Amor de Deus.

 Aos poucos vamos alcançando o entendimento definitivo da Deidade, do qual Jesus Cristo não é uma parte, não mais do que você e eu somos.

 Ele é um Filho, e somos filhos. E estamos em uma ordem definitiva de acordo com a soberania de Deus, nem mais nem menos.

E, como Ele representou o Seu papel, também representamos os nossos papéis.

 E um dia isto chegará ao lugar onde nós realmente, verdadeiramente entenderemos, e o entendimento será maior na Nova Jerusalém.

 O irmão Branham disse: “O Milênio é um lugar de mais santificação”.

 E referente à Nova Jerusalém, encontramos o Filho no trono (o Cordeiro) e a Coluna de Fogo acima do trono, que é Deus – Elohim-Jeová, Elohim Ele mesmo.

 Na Nova Jerusalém nós O vemos, e Ele é aquele Cordeiro, e somos os irmãos. Somos os filhos e filhas de Deus, embora eles sejam chamados de filhos, vindos à existência.

 Agora, lembre-se que filhos têm começos. Assim, portanto, Ele estava lá atrás no começo. Uma pergunta chegou ao irmão Branham: “Qual é a diferença entre Jesus e Deus?”.

 Ele disse: Não há diferença exceto que filhos têm começos”.[1] Agora, se o irmão Branham tivesse dito diferente, ele teria mentido para você, porque entre Aquele e o Pai não existe diferença substancialmente, exceto uma que é o Filho que veio do Pai.

Mas de acordo com Hebreus 1, o qual lemos para você, Paulo diz cem por cento exatamente da maneira que o irmão Branham disse Isto, e Isto diz:

a nós falou-nos nestes últimos dias pelo Filho, a  quem constituiu herdeiro de tudo, por quem fez também o mundo. (E este Filho) O qual, sendo o resplendor, o efluente, o resplendor da sua glória, (Em outras palavras, a completa avaliação do O quê e de Quem Deus é em Suas expressas perfeições de modo nada haver a ser acrescentado ou tirado Disto. Tudo bem) e a expressão da sua substância, (Ele é a expressão) e sustentando todas as coisas pela palavra do seu poder, havendo feito por si mesmo a purificação dos nossos pecados, assentou-se à destra da majestade nas alturas...[2]

Existe alguém sentado à destra de alguém. Não tente mudar isto. Você quer ir para unicidade, e você se assentará em suas próprias mãos!

 Até mesmo os judeus sabiam disso. Eles disseram: “Se Te fazes a Ti mesmo o Filho de Deus, então Tu és igual a Deus!

 Voltando a Nova Jerusalém, vemos positivamente Aquele Ente sair de Quem Aquele Ente veio, iniciando as gerações de Deus.

 Vemos cada pessoa individual, ou na Nova Jerusalém ou do lado de fora, que estava na geração de Adão, que é a nossa, e estamos ali, e ali você distintamente vê o Pai e o Filho e todos os outros filhos.

E, como disse o irmão Branham, não existe diferença entre nós e Jesus. Agora, ouça, ele disse: Não há diferença entre Jesus e Deus, exceto que um teve um começo, porque filhos têm começos.

 E mostramos a você agora: o filho, o primogênito, é igual ao pai em cada particular, coisa única. Porém se ele é um filho obediente, ele sempre estará debaixo do pai. Por quê? Porque o filho não é a origem. Você não pode gerar a si mesmo.

 Quantos de vocês geraram a si mesmos? Diga-me, cada um de vocês: “Eu quis nascer! Eu escolhi meus pais!

 Agora, o irmão Branham disse: “Viemos exatamente como Ele veio, exceto por uma coisa. Nós contornamos o Espírito ou o corpo-Palavra, o qual nós deveríamos naturalmente ter tido”. Ele não contornou. Por quê? Porque é uma Luz formada. Agora, não tente ir a fundo até às luzes e dizer: “O que é isto…?” e “O que é aquilo…?” Ouçam!

 Luz é substância! Se não era substância, você não poderia ver luz! Existe luz! [Aponta para luzes fixas – Ed.] Substância! Espíritos são substâncias.

 1               Nós temos um entendimento. E eu quero que você entenda isto: que Jesus não é diferente de você e de mim concernente à Origem. É a mesma semente[3] de Deus… não esperma. Semente. Pequenas flores.

 Uma parte da natureza, da qual Deus Ele mesmo tomou parte; e Ele tomou parte pelo Filho Unigênito, o Único, em quem Ele começou todas as gerações. Como disse o irmão Branham: “Deus foi o primeiro homem; Jesus o segundo; Adão o terceiro. [Existe uma crença que diz ser o irmão Branham o terceiro Adão. Ed.]

 Agora, ele disse isso ou não disse? Ele não disse: Agora você tem dois deles, quando a Luz se formou, e o Filho falando ao Pai”?[ Mensagem “Atitude e Quem é Deus” (15/08/1950) §18] Traga-me um pregador unicista que diga a você isso.

 A pergunta surge: “Que tal esta Luz que se formou? Qual, na verdade, foi o papel que Ele teria?”.

 Bem, número um:

Deus, por Ele, criou tudo! Agora, vamos a João. Primeiro de tudo, vamos a João 14 e começar a ver que esta é uma pessoa real.

 E antes de lermos Isto, lembre-se do que Ele disse em João 12: “Eu gostaria que fosse restaurada a mim a glória que Eu tinha Contigo no princípio”.  Princípios do princípio.

 Em outras palavras, Tua estimativa, o que Tu pensavas; portanto, o que Eu sou. Aí fica alguma coisa para comparar com agora. E Ele disse em João 17:5, “Restaura a mim a glória que Eu tinha Contigo”.

 Em dois lugares Ele fala acerca da Presença. Isto significa a posição que Ele tinha.

 Portanto, Ele foi totalmente pré-existente. E o irmão Branham descreve isto. “Aquela Luz que se formou, como uma criança brincando em volta do trono do Pai”.E Ele segue diretamente todos os passos da criação pela Palavra e formação.

 Então, começando com o sol, a grande massa fundida, da qual pedaços flutuaram e caíram por bilhões de anos resfriando, e formando as geleiras, criando a América.

 E Ele falou acerca de Kentucky. Você tem que lê-lo por si mesmo.

Agora, quando que o irmão Branham se arrependeu? Quando ele disse: “Eu cometi um erro. Eu estava apenas ilustrando”?

 O irmão Branham não estava ilustrando. Ele estava falando a verdade. E ele falou a verdade sob o mistério dos Selos e o ministério para o qual ele foi chamado, contando-nos aquelas coisas as quais não eram conhecidas desde antes da fundação do mundo. Elas estavam aqui na Bíblia, porém elas nunca foram explicadas. E ele as explicou, e ele as trouxe adiante uma por uma.

 Agora, a Bíblia distintamente diz que Deus, por Cristo Jesus, criou todas as coisas. E isso está não somente em Hebreus que menciona as eras, mas está no Livro dos Efésios. E Isto não está falando a respeito das eras. Isso está falando acerca do absoluto, da completa criação.

 Agora, o ponto é este: Jesus fez a criação? Não. Deus fez a criação. Porém não houve criação seja qual fosse até que a Luz se formou, o que significa que Deus gerou aquele Filho.

 Porque a palavra “formado” significa “tomar a coisa que está aí e moldá-la”. A palavra “criar” significa “fazer algo que nunca estava ali”, e isto é falado para vir à existência.

 Agora, esta Luz formada era aquele Filho, inteligente, e Ele conversou com o Pai, e o Pai conversou com o Filho. E Deus, através daquele Filho: “Que haja luz! Que haja isto. Que haja aquilo.

 A grande revelação desta hora é o verdadeiro entendimento da Deidade e o batismo no Nome do Senhor Jesus Cristo. E qualquer pessoa batizada no Nome do Senhor Jesus Cristo sem o entendimento da Deidade, é literalmentebatizada em vão a menos que ele surja como virgem néscia ou algo assim.

 O que aquele Ser está fazendo ali naquela Coluna de Fogo? Ele está conduzindo a igreja a fim de submetê-la aos pés do Senhor Jesus Cristo, para que Ele possa apresentar esta igreja ao nosso Senhor Jesus Cristo, o Cordeiro, nosso Irmão mais velho na carne, glorificado.

 E quando aquele Ser é encarnado naquele corpo, nós O coroamos Rei dos reis e Senhor dos senhores. Isso é tão difícil de entender?

É tão difícil compreender que aquele Cordeiro que está agora mesmo no trono do Pai, no corpo glorificado, é Aquele que ficou de pé aqui na terra? 

 Que uma vez que não estava encarnado em carne, que Ele produziu por meio de Si mesmo Sua vida no ventre da virgem Maria? De que Ele mesmo foi aquela Luz, por meio de quem Deus operou, criando todas as coisas?

 De que Ele era Aquele que estava ao lado de Satanás na adoração do Deus Todo-Poderoso, e naquela vez em que Ele habitou em Miguel, e de que Miguel está vivendo ainda?

 Texto extraído do sermão do Rev. Lee Vayle

 

www.doutrinadamensagem.com

radiounife@hotmail.com



[1] Mensagem “Hebreus – Capítulo 7” (15/09/1957), § 27, tradução GO – NT.

[2] Hebreus 1:2-3 – NT.

[3] Do inglês “spora”, que também significa “germe” – NT.

Gostou? Compartilhe na rede!
Tags

Nenhum comentário  - Clique aqui para comentar!

No comments yet.


RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Dados da Matéria

Dados do Autor

Doutrina da Mensagem Admin do site doutrina da mensagem » Blog do autor. » Site do autor.