Independência ou Morte Download PDF

A História do Brasil Contada de Uma Forma Diferente

independência ou morte

Dedicatória

Obrigado por estar comigo agora, nesta leitura quero alertar que o reaprendizado será a Palavra que nos guiará daqui para frente. Pois quem não estiver aberto a aprender e a reaprender, não participará da historia. Educação é estar na vanguarda das informações, ser o primeiro a mudar, conciliar conhecimento humano com tecnologia, entender o amor como grande diferencial competitivo e acima de tudo perceber que nada disso tem valor se não existir Deus dentro do coração das pessoas. Espero que a sua viagem seja tão boa quanto o seu destino. Que Deus abençoe você! (Texto de Gilcler Regina)

Independência ou Morte

Prólogo

A História do Brasil contada de uma forma diferente é uma aula sobre história que você não encontrará nos livros. Geralmente costumo passar no rádio esta mensagem nos dias 7 de Setembro e 15 de Novembro de cada ano, agora resolvi deixar sempre disponível para todos. O que se ouve nesta palestra de forma simples e sem ensaio é justamente o que não se aprende em sala de aula ou livro de história. Mesmo tratando de temas como proclamação da republica, dia do fico, dia da independência, etc… de forma instrutiva e crítica, o tema central será focado do “Grito da Independência” ou como todos conhecem: INDEPENDÊNCIA OU MORTE, UM GRITO QUE PODERIA TER TRAZIDO LIBERDADE, COMO O GRITO; ESTÁ CONSUMADO! Mas não poderia ser assim.

A Historia do Brasil contada

de uma Forma Diferente

Capítulo I

         “A Independência”

1 – Independência ou morte! Independência, liberdade, morte. Este é um pequeno resumo da historia de nosso país contada de uma forma diferente. Leitores preciosos convido vocês neste instante há esquecerem um pouco os seus afazeres, os seus problemas do dia a dia. E juntamente comigo pensarmos um pouco sobre o nosso país, sobre a nossa pátria.

 2 – Existem dias especiais onde cada nação comemora os seus feitos, atos heróicos do passado. E com o nosso país não poderia ser diferente. Existem dias, datas especiais onde é comemorado, são relembrados grandes acontecimentos do passado. Um caso: O dia 7 de Setembro, o dia 15 de Novembro. E tantas outras datas históricas. Neste instante vamos pensar um pouco sobre este assunto.

3 – O Filho de Deus, ele não tem pátria nesta terra. Quando lemos a historia de Abraão que morava em Ur dos Caldeus, Deus disse para Abraão: “Sai de tua terra de sua parentela para a terra que Eu hei de mostrar”. Quando lemos o livro de Hebreus no capitulo 11, nós encontramos a galeria dos heróis da fé, e sabemos que aqueles homens andaram errantes, enfrentando perigo, fome e tantas coisas. Homens dos quais a terra não era digna. E eles peregrinaram em busca de uma cidade cujo artífice e construtor era Deus.

4 – Na verdade aqui nesta terra nós somos peregrinos. Estamos peregrinando em terra estranha, mas enquanto estamos aqui nesta terra, enquanto você nasce em uma determinada nação você é um cidadão desta nação. Cada coisa que aconteceu nesta nação de bom ou de mal, de bonito ou de vergonhoso, você é um representante disso. Uma vez que você nasceu nesse país.

5 – O profeta de Deus enviado para esta era, ele disse: “Se eu sou americano eu estou representado em cada símbolo desta nação”. Ele disse: “Eu estava ali na hora em que este país foi proclamada a sua liberdade, eu estava  presente quando a constituição foi promulgada, eu estava presente naquelas grandes batalhas, eu estava em todos estes momentos se na verdade eu sou um americano”.

6 – Mas lembrando um pouco da nossa historia, a historia da nação brasileira, você precisa saber também disso: Se você nasceu neste país, mesmo você estando peregrinando aqui, você é um representante deste país, enquanto você estiver neste planeta terra. E como representante deste país, cada vez que o seu país passou por um problema, cada vez que ele passou por uma luta você estava representado nesta luta

7 – A bandeira nacional com suas cores, você esta representado ali. As estrelas que compõe a faixa, tudo. Representa cada cidadão, cada homem, cada mulher que são Brasileiros.

8 – Vamos lembrar neste instante um pouco da história, desta nação. Uma nação não se faz de um dia para o outro. Passaram-se muitos anos para que este país recebesse o nome de Brasil. Eu quero neste instante, juntamente convosco lembrar de uma grande frase de um homem do passado que disse: “Se é para o bem de todos…”. Dom Pedro I chegou um momento na sua historia, na sua trajetória política que ele recebeu uma ordem de Portugal dizendo que ele teria que voltar para lá. E o resultado disso, é que o Partido Brasileiro fez o possível e o impossível para que Dom Pedro não fosse embora.

9 – Em poucos dias foram recolhidas mais de 8 mil assinaturas, implorando a Dom Pedro que fica-se, que permanecesse no país. Ele deve ter se sentido nas nuvens, e disse a famosa frase que é tão aclamada hoje: ´´Se é para o bem de todos, e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico”. Há meus amigos… Este dia é conhecido por todos como: “Dia do fico”. Era o dia 9 de Janeiro de 1822. Nesta data faltavam 6 meses para a independência, aquilo que comemoram no dia 7 de Setembro

10 – A partir do dia do fico, Dom Pedro pulou de cima do muro, se é que podemos dizer assim. Ele se posicionou a favor da ruptura com Portugal, porque o país era uma colónia de Portugal. E o povo pedia, clamava por uma libertação da pátria.

11 – Eu quero contar a história desse país levando também para o lado religioso. Se você observar no livro de Atos, cada igreja, cada congregação, era autónoma. Cada líder espiritual, ou cada bispo tinha a sua autonomia própria juntamente com aquela igreja local.

12 – O que tem acontecido é que as coisas mudaram e um homem se impôs sobre o outro, e ancião local se tornou bispo, arcebispo e tantas coisas. E hoje nós temos presidentes nacionais e presidentes internacionais. E em cidades onde deveria haver ali a sua igreja independente, ou autónoma, a soberania da igreja local, existe sempre um homem sobre o outro homem que domina sobre o outro. E o resultado é que o vigário desta paróquia, ele presta homenagem a um bispo regional. O pastor desta igreja deve obediência ao líder da sede. E ele não pode resolver nada aqui sem que ouça primeiro de lá

13 – Este não é o padrão bíblico. O padrão bíblico é que todos eles, principalmente os lideres, os lideres religiosos, cada um tem, ou teriam que ter a sua autonomia. Poder de decisão juntamente com o povo local. E isso nós não encontramos ai fora, e nem tão pouco o povo exige que seja assim. E é justamente por isso que você encontra hoje: “DENOMINAÇÃO”. Sistema denominacional. Um homem governando sobre outro homem. Esta não é a ideia de Deus.

14 – Vejamos isso bem claro na historia de nosso país. O país mandava o dinheiro, o imposto, tudo para Portugal. E o povo achou que aquilo estava sendo injusto, e que poderiam ser um povo livre com o seu próprio governo. E quando Portugal soube disso, mandou que Dom Pedro fosse embora para lá, e o povo pediu para que ele ficasse. Sim! E quando ele disse aquela celebre frase: “Se é para o bem de todos, e felicidade geral da nação, diga ao povo que fico”. Isto 9 de Janeiro de 1822. A partir daí ele se posicionou a favor da ruptura com Portugal. E o processo para a independência começou a rodar em altíssima velocidade.

15 – Os portugueses se revoltaram aqui no Brasil, contra esta decisão, e foram reprimidos. Dom Pedro também determinou que nenhum decreto que as cortes levantassem lá em Portugal teria sentido aqui. A não ser que ele assina-se como um cúmplice. Em outras palavras: “Um aval. Mesmo que a ordem tenha vindo de uma corte lá em Portugal, mas só será cumprida se eu der a minha palavra”.

16 – Portugal meus amigos, ficou furioso e mandou tropas para cá, para o Brasil. O imperador logo tratou de despachar logo estas tropas. E alem disso Dom Pedro formou um novo ministério que tinham brasileiros e portugueses juntos. Mas a chefia deste ministério era de um brasileiro, chamado: “José Bonifácio de Andrada e Silva”. Ele é tido como um pai da nossa nação. Tratou de convocar uma assembleia constituinte para elaborar uma constituição para o Brasil. Que só foi se reunir um ano depois. Esta era chamada assembleia constituinte

17 – Finalmente meus amigos, depois de muita luta, no dia 14 de Agosto de 1822, Dom Pedro viajou para São Paulo para resolver um problema político. Deixou que dona Leopoldina sua mulher, ficasse no poder durante sua ausência. Quando as coisas já tinham se acalmado, e ele seguiu para Santos, chegaram ao Rio de Janeiro ordem da corte. De acordo com essas ordens Dom Pedro deveria voltar para Portugal naquele instante. José Bonifácio deveria ser julgado e um novo ministério deveria ser criado para colocar ordem naquela bagunça. Como eles diziam

18 – Isto destruía todas as medidas de Dom Pedro. Dona Leopoldina sua esposa, e José Bonifácio, mandaram seus mensageiros correrem com estas noticias. Um mensageiro encontrou-se com Dom Pedro as margens do riacho Ipiranga em São Paulo. Meus amigos aquele mensageiro, de acordo com a historia, quando ele se encontrou com Dom Pedro as margens do Rio Ipiranga, em São Paulo, era exatamente a tarde do dia 7 de Setembro de 1822. É justamente por isso meus amigos que hoje você canta o Hino Nacional Brasileiro. Sim! Este hino nacional brasileiro que é cantando e diz: “Ouviram do Ipiranga as margens plácidas”. Ele é feito em homenagem justamente a isto. Aquele dia do encontro de Dom Pedro com o mensageiro.

“Ouviram do Ipiranga as margens plácidas

De um povo heróico o brado retumbante,

E o sol da Liberdade, em raios fúlgidos,

Brilhou no céu da Pátria nesse instante.”

Se o penhor dessa igualdade

Conseguimos conquistar com braço forte,
Em teu seio, ó Liberdade, Desafia o nosso peito a própria morte!

Ó Pátria amada,Idolatrada, Salve! Salve!

 Brasil, um sonho intenso, um raio vívido,

De amor e de esperança à terra desce,
Se em teu formoso céu, risonho e límpido,

A imagem do Cruzeiro resplandece.

Gigante pela própria natureza,

És belo, és forte, impávido colosso,
E o teu futuro espelha essa grandeza

Terra adorada,

Entre outras mil, És tu, Brasil, Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil,

Pátria amada, Brasil!

Deitado eternamente em berço esplêndido,

 Ao som do mar e à luz do céu profundo,

Fulguras, ó Brasil, florão da América,

Iluminado ao sol do Novo Mundo!

Do que a terra mais garrida Teus risonhos, lindos campos têm mais flores;

“Nossos bosques têm mais vida”, “Nossa vida” no teu seio “mais amores”.

Ó Pátria amada, Idolatrada, Salve! Salve!

 Brasil, de amor eterno seja símbolo

O lábaro que ostentas estrelado,

E diga o verde-louro desta flâmula –

Paz no futuro e glória no passado.

Mas, se ergues da justiça a clava forte,

Verás que um filho teu não foge à luta,

Nem teme, quem te adora, a própria morte.

Terra adorada Entre outras mil, És tu, Brasil, Ó Pátria amada!

Dos filhos deste solo és mãe gentil, Pátria amada, Brasil!

19 – Sete de Setembro de 1822. Existem pelo menos 6 versões desta historia. Por isso ela já foi contada de diversas maneiras. Uma destas versões, a versão do padre Belquior, conta que Dom Pedro leu os decretos e perguntou: “E agora padre o que faço”? Aquele religioso aconselhou Dom Pedro a proclamar a Independência do Brasil. Se não ele seria feito prisioneiro das cortes. Não tinha outro jeito. Ou ele proclamaria a independência, ou ele se entregaria e enfrentaria a corte. Seria prisioneiro da corte.

20 – Trinta e oito pessoas assistiram a cena. Dom Pedro desembainhou, tirou a espada ergueu para o auto e deu o famoso grito: “INDEPENDÊNCIA OU MORTE”. Não poderia haver independência sem haver morte de maneira nenhuma. Por isso ele já deu este grito: ´´INDEPENDÊNCIA OU MORTE´´. Eu quero que você preste atenção no hino da independência.

 Já podeis, da Pátria filhos,Ver contente a mãe gentil;

Já raiou a liberdade No horizonte do Brasil.
Já raiou a liberdade No horizonte do Brasil.

 Brava gente brasileira! Longe vá… temor servil:

Ou ficar a pátria livre Ou morrer pelo Brasil.
Ou ficar a pátria livre Ou morrer pelo Brasil.

 Os grilhões que nos forjava Da perfídia astuto ardil…

Houve mão mais poderosa: Zombou deles o Brasil.

 Brava gente brasileira! Longe vá… temor servil:

Ou ficar a pátria livre Ou morrer pelo Brasil.

 Não temais ímpias falanges, Que apresentam face hostil;

Vossos peitos, vossos braços São muralhas do Brasil.

Brava gente brasileira! Longe vá… temor servil:
Ou ficar a pátria livre Ou morrer pelo Brasil.

 Parabéns, ó brasileiro, Já, com garbo varonil,

Do universo entre as nações Resplandece a do Brasil.

Brava gente brasileira! Longe vá… temor servil:
Ou ficar a pátria livre ou morrer pelo Brasil

 20 – Liberdade! Grito de liberdade. O profeta de Deus enviado para esta era disse: “DEUS FEZ O HOMEM, O HOMEM FEZ OS ESCRAVOS”. Há se esta brava gente soubesse o poder que ela tem. Se o elefante soubesse o poder que ele tem, a força que ele tem, não deixaria uma mocinha de circo lhe dominar. Se os brasileiros soubessem quem são, soubessem o poder tremendo, a riqueza insondável que possuem, exigiriam de seus lideres outro comportamento. Não existiria fome, não teria tantos desempregados de maneira nenhuma porque nós temos recursos suficientes para alimentar a cada uma destas pessoas.

 21 – Mas sabe o que acontece? Deus fez o homem livre. Mas o homem gosta de dominar as pessoas, o homem gosta de dominar sobre seus outros irmãos. Alguém sempre deseja ser líder. E se existe o líder é porque existem os liderados. Sempre um quer ser melhor do que o outro sempre uma família quer ser melhor do que a outra sempre o homem atrai o povo para si, sempre uma nação quer dominar a outra, sempre o diabo deseja dominar a todos.

 22 – Sim meus amigos, Deus fez o homem livre. Mas homens dirigidos por satanás fizeram os escravos. Esta nação, ela era uma nação livre antes, quando o homem branco não tinha chegado aqui ainda. Era um país livre, onde os índios, os primeiros habitantes tinham liberdade, sua própria cultura. Quando inventaram de descobrir o Brasil, ele não estava encoberto de maneira nenhuma. Esta nação estava exposta diante de Deus.

 23 – O homem branco, o homem chamado civilizado, veio com a sua cultura, veio com as suas doenças, com as suas pragas. E na realidade eles não descobriram o Brasil. Eles imporam, eles aprisionaram aqueles que aqui viviam livres. E depois eles dominaram esta nação, e começaram então a dominar uns sobre os outros. Por isso que eles próprios começaram a clamar por liberdade, para ficarem livres de Portugal.

24 – Mas é claro meus amigos, a historia não acaba tão fácil assim. Na verdade teve independência e teve morte também. Não foi uma coisa pacífica como muita gente acha hoje em dia. Claro que a independência só aconteceu mesmo quando as classes dominantes que tinham dinheiro do Brasil tiveram certeza de que iriam continuar tendo escravos e latifúndios. Não é uma vergonha? Primeiro foram contra ficarem livre de Portugal, mas depois os donos do poder, os latifundiários, os que tinham dinheiro viram que iam continuar tendo escravos para trabalharem para eles nas suas grandes fazendas. “Há então sim! Podemos ficar livres. Vamos continuar do mesmo jeito”. Quer dizer: “Nós vamos ficar livres mas vamos continuar escravizando os índios, escravizando os negros, em navios comprados ou pegos a laço nos países africanos”. E que eles continuariam a ter a voz e vez. E por isso foi tão importante Dom Pedro ter proclamado a independência, e não um aventureiro. Tinha que ser uma pessoa com a capacidade dele

25 – Por isso o Brasil foi praticamente o único pais da América latina, a continuar na monarquia. Ou seja, com um rei no governo. E no nosso casso um imperador. Todos os outros países proclamaram a republica, mas o Brasil continuou igualzinho a antes. Houve muitas lutas. Em toda a América o processo de independência aconteceu com muitas guerras sangrentas e mudanças profundas nas colônias.

26 – Aqui também houve guerras. No nordeste, no norte e sul do país. Umas destas guerras, a “Guerra da Independência”, começou em 1822 e durou um ano. O pessoal das regiões norte e nordeste e estremo sul, não estavam felizes com a independência, e queriam que o Brasil continuasse a ser colónia.

27 – Não é sempre assim? Sim! Por que eles não queriam ser livres de Portugal? Por que eles queriam continuar a ser colónia, por que pensar tão pequeno? Vocês lembram do povo de Israel? O povo de Israel estava escravizado e clamaram por libertação. Deus enviou Moisés e ele os libertou desta escravidão debaixo do poder de Deus. Mas depois que aquelas pessoas começaram a se sentir livres do poder de Faraó, começaram a desejar novamente estar no Egito.

28 – Diz a bíblia que eles voltaram para o Egito em seus corações. Vêem? Eles não tinham mais como voltar, porque o mar fechou a saída às costas deles. Talvez se não houvesse mar eles teriam voltado. Mais como eles não poderiam voltar literalmente, eles voltaram em seus corações, diz a bíblia. Não é assim que acontece com muita gente? Com muitas pessoas que estavam escravizadas nas garras de satanás e Deus os liberta, e daí a pouco ele volta a ter saudade da sua vida antigamente. Não é assim? Quantas vezes você se pegou pensando nas coisas erradas que você fez no passado? Quantas vezes? Você sabe disso. Isso é desejar voltar para a masmorra do inimigo. Sim! Você esta livre? Aproveite esta liberdade que Deus te deu.

29 – Meus amigos, então Dom Pedro, ele fez o seguinte. Contratou as pressas soldados e oficiais estrangeiros para lutar contra os revoltosos. Veja! Não tinha como contratar o povo aqui. Porque muitas pessoas não desejavam a independência. Ele então contratou soldados de fora para lutar com os daqui de dentro. Que vergonha! Para isso ele usou dinheiro emprestado da Inglaterra, a qual deveria estar super feliz com esta historia de  independência, porque ela estava lucrando horrores com isso. Esta guerra mobilizou mais soldados do que qualquer outra do mesmo tipo na América. Inclusive a revolução americana.

30 – Para enfrentar as tropas portuguesas na Bahia, foram reunidos quase três mil homens. Mas a guerra da independência do Brasil não significou nenhuma grande mudança. Sim! Nem na economia, nem na sociedade. Não refletiu muitas mudanças. Apesar de muitos negros e índios terem participado dos combates o escravismo continuou e a destruição das tribos também continuaram. Os latifundiários grandes proprietários de terras continuaram dominando a cena. Tanto na política, como na economia. E a gente continuou a ser governados por um rei imperador português. Filho do rei de Portugal. Dom Pedro I. Primeiro imperador do Brasil.

31 – Mas o triste, é que ainda temos que pagar pela independência. Quando um território se torna independente, os outros países devem reconhecê-lo. Se não a independência não vale de muita coisa. O primeiro país a reconhecer o Império Brasileiro foram os Estados Unidos, um ano depois da guerra da independência em 1824. Depois disso foi à vez do México, em 1825 reconheceu o Brasil. Já os países europeus tornaram-se um calo para o Brasil. Cada um queria obter mais vantagem do que o outro para reconhecer nossa independência. Alem de fazer mil exigências. Tanto que esse processo de independência durou nada mais ou menos que 11 anos.

32 – O caso mais complicado foi à Inglaterra. Ela não queria ficar má com Portugal. Sim! É trocas de favores! Não é o que acontece hoje no nosso meio ainda? Troca de favores! Ela não queria ficar má com Portugal, mais lhe interessava muito que o Brasil ficasse independente por causa dos negócios. Como não é boba, achou logo uma solução. Fez com que Dom Pedro I que estava em divida com ela, por causa da guerra, fez com que ele pagasse uma indemnização de duas mil libras esterlinas. É muito dinheiro, a Portugal como indenização.

33 – Indenização é o que se deve pagar quando se prejudica. Quando se prejudica a alguém. Pois é meus amigos, mesmo sem fazer nada de errado, apenas buscando nossa independência como era de direito, tivemos de pagar este dinheiro a Portugal. Fomos talvez o único país a pagar pela independência. Não houve independência! Houve uma compra! Tudo porque nosso imperador era português. Pior! Quem nos emprestou dinheiro, de novo foi a Inglaterra. Sempre ela. E para que Dom João VI não se sentisse ofendido, deram-lhe o titulo de imperador honorário do Brasil.

34 – Será que nesta época nós nos tornamos realmente independentes? Fica a pergunta no ar.

CAPITULO II

 “A Proclamação da República”´

 1 – Estamos contando a historia do nosso país de uma maneira diferente. Talvez você viva em um país sem conhecer a sua historia. Você sabe o que é a Proclamação da República? Tem pessoas que acham que coisas como democracia, república, direitos humanos, sempre existiram. Mais não é bem assim. Antes de ser República, o Brasil passou 400 anos debaixo da asa de reis e imperadores. E olha que eles nem brasileiros eram. Eram portugueses.

2 – A república é bem novinha na nossa historia. Tem cento e doze anos, por ai. Depois de conhecer um pouco da historia da independência do Brasil, é bom você saber um pouco da historia do nascimento da república. Vamos ver agora.

3 – O primeiro reinado do Brasil livre. A pergunta é essa: “Era livre mesmo”? Levando para o lado religioso, evangélico você encontra muitas pessoas dizendo que estão livres. “Estou liberto! Fui liberta! Jesus me libertou! Eu fui em tal, e tal igreja e Jesus me libertou”. Libertou mesmo?

4 – Jesus disse: “Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livre”. Como pode você dizer que é livre se você vive debaixo de jugos humanos? Não faz determinadas coisas só porque um homem proíbe. Ou faz determinadas coisas que não deveria fazer, mais faz porque um determinado homem disse que não tinha importância. Esta é a liberdade que você recebeu? Jesus liberta por completo!

5 – Quando um homem apregoa a liberdade em nome de Deus, contrariando a vontade divina, contrariando os preceitos cristãos, os preceitos bíblicos, ele usa o nome de Deus para escravizar o povo, para si próprio, para sua igreja, para a sua denominação, para a sua organização religiosa, e o que você encontra não são pessoas livres. É um monte de escravos acorrentados. Só que desta vez não são nos pés nem nos pulsos. É no sistema mental.

 6 – Mentalmente as pessoas estão algemadas. Elas não podem pensar por si mesmas. Tem alguém que pensa por ela. Tem um líder que pensa por ela. Ou um grupo de lideres que pensam por elas. Por isso que tais pessoas não conseguem obedecer às escrituras como ela exige, como ela pede. Porque acima das escrituras tais pessoas têm o seu líder, a sua igreja para lhe ordenar. Jesus disse que eles invalidam os mandamentos de Deus com suas tradições, acorrentando o povo com algemas religiosas pagãs, anti-bilbicas, escravizando o povo.

7 – Eu te pergunto: Somos uma nação livre? De quem é o Brasil? O povo brasileiro conhece a Deus? O povo brasileiro conhece os princípios cristãos? Você diz: Sim! Conhece. Procure em cada cidade que você mora. Quem comanda esta cidade? Você diz: “É o senhor prefeito, é o senhor isso, é o senhor aquilo”. Não senhores! Eu estou falando no sentido religioso.

8 – Cada cidade tem um padroeiro ou uma padroeira. Não sei nem se é usado este termo: “Padroeira, madroeira” ou seja o que for. Cada cidade tem seu padroeiro. Os países têm seu líder religioso principal. No Brasil não é diferente. O Brasil não é de Jesus Cristo! O Brasil não foi entregue ao Espírito Santo. O Brasil tem a sua padroeira e a ela prestam homenagem. Será que somos livres? “Se o Filho vos libertar, (Disse Jesus) verdadeiramente sereis livre”.

9 – Nós temos alguma liberdade para comemorar no dia de hoje? Você é livre para escolher ouvir de Deus? Você esta livre para escolher obedecer à palavra de Deus? Faça isso e veja se você não fica só. Faça isso e veja se não será expulso de sua organização religiosa. Faça isso. Obedeça a Deus e veja se você não vai ser chamado de fanático, de herege e tantas coisas.

10 – Vamos voltar para a historia do nosso país? Depois da independência em 1822 pouca coisa mudou para o Brasil. O imperador português, Dom Pedro I continuava a nos governar. A escravidão permaneceu, assim como dividas que não acabavam mais. Porque o Brasil vendia muito pouco para fora e comprava de mais. Parece que não mudou nada nos dias de hoje. Ate para termos coisas do dia a dia, como: Sabão e vestidos. Precisávamos mandar buscar lá fora, em outros países. E o que é pior, continuávamos dependendo da Inglaterra para tudo, porque era ela quem fabricava a maioria dos produtos que a gente consumia.

11 – Independência? Parece que no comecinho de nossa historia éramos livres só da boca para fora. Em vez de sermos a galinha dos ovos de ouro de Portugal, o Brasil passou a ser a galinha dos ovos de ouro de outros países. Principalmente da Inglaterra. Acham que foi fácil isto? Diga-me, mudou alguma coisa? Será que não dependemos do capital estrangeiro? Será que não dependemos do fundo monetário internacional para fazermos qualquer obra de grande envergadura em nosso país?

12 – Sabe o que disse Davi no livro de Salmos? Ele disse: “Põe-nos em medo SENHOR. Para que saibam as nações que somos constituídos por meros homens”.

13 – Mas meus amigos, chegou a noticia que morre Dom JoãoVI o rei de Portugal. Claro que ninguém estava feliz com esta situação. E toda a culpa acabava caindo sobre o nosso novo imperador, e a coisa piorou quando morreu Dom João VI o pai de Dom Pedro I. Então Dom Pedro se vil numa “sinuca” daquelas. De um lado ele tinha o Brasil para governar, de outro deveria assumir o trono em Portugal. Parece que a ameaça de uma nova colonização estava no ar. Se ele voltasse para Portugal sendo rei de lá, o Brasil voltaria a continuar uma colónia tal como antes.

14 – Para complicar Dom Pedro causou a falência do banco do Brasil e ficou mais do lado do partido português que era quase todo formado de portugueses e cada vez menos do lado dos liberais, nacionalistas brasileiros. Acabou cavando um verdadeiro abismo entre ele e o povo brasileiro. Não deu outra. Dom Pedro I teve que dar adeus ao país aquém ele prometeu ficar.

15 – Você já notou a diferença destes libertadores com o nosso libertador Jesus? Quando ele olhou do céu a terra e viu que não havia nenhum justo se quer, viu que estávamos falidos, endividados, escravizados. A divida era tão alta que era a nossa vida, a nossa alma que estava em jogo. E ninguém tinha dinheiro para pagar esta divida. Ele mesmo veio e disse: “Eu faço o trabalho para vocês, eu liberto vocês”. E quando ele não apenas levantou uma espada dizendo: Eu fico. Mas ele abriu os braços na cruz dizendo: “Esta consumado! Esta proclamada a independência de meus filhos”! Mas também como Dom Pedro I, ele teve que partir. Mas antes de partir ele reuniu os seus discípulos e disse: “Não se turbe os vossos corações! Crede em Deus, crede também em mim. Na casa de meu Pai a muitas moradas. Eu não vou para lá para me distanciar de vocês. Eu vou vos preparar lugar”. E ainda disse: “Não vos deixarei órfãos, voltarei para vós. Estarei convosco todos os dias até a consumação dos séculos”. Foi o que ele disse, foi o que ele fez. Ele voltou no dia de pentecostes e agora habita dentro de nossos corações.

16 – Dom Pedro teve que abdicar, pois não contava com nenhum apoio dos brasileiros. E saiu de cena e do Brasil também em 7 de Abril de 1831 nove anos depois de ter dado o seu famoso berro a beira do riacho do Ipiranga: “INDEPENDENCCIA OU MORTE”. Saiu do Brasil mesmo? Saiu mais ou menos. Deixou aqui, para governar o povo do Brasil seu filhinho: Pedro de Alcântara. Um detalhe, o pequeno Pedro tinha apenas cinco aninhos quando ele foi embora. Por isso Jose Bonifácio foi nomeado seu tutor. Responsável pelo bem estar e educação da criança ate que ele virasse adulto. E assim começou o período da regência.

17 – Eu queria que vocês ouvissem. Porque estávamos primeiro falando da independência, depois sobre a proclamação da república e eu gostaria que vocês ouvissem o hino da proclamação da república.

18 – Este período da regência foi um período muito agitado para este país. Era revolução que não acabava mais. O período da regência foi como dois parâmetros entre o reinado de Dom Pedro I e do reinado de seu rebento Dom Pedro II, foi um dos períodos mais agitados da nossa historia. Muitas rebeliões pipocaram nas províncias por todo o Brasil. Elas queriam poder governar de acordo com sua vontade e não e não depender da província mais poderosa, que na época era o Rio de Janeiro, onde ficava a nossa capital.

19 – Algumas províncias queriam se separar do Brasil e proclamar a república. Mas acabaram sendo reprimidas, por isso é que não existem vários “brasis”. Se tivesse deixado, não existiria só um Brasil, mais vários. Porque cada colónia queria proclamar a sua independência, queriam proclamar a sua republica. Sim! No Pará estourou a cabanada em 1833. No Rio Grande do Sul, a faropilha em 1835. Dois anos depois em 1837 era a vez da Sabinada na Bahia. E no ano seguinte em 1838 veio a balaiada no Maranhão.

20 – Sim! Estourava confusão e lutas por todos os lados. Com tanta confusão apresaram logo a maioridade do “Pedrinho”, normalmente se daria aos 18 anos. Vêem? Ele estava ainda para completar os seus 15 anos. Nove anos depois de seu pai voltar para terras portuguesas, ele assumiu o trono e tornou-se Dom Pedro II, nosso segundo imperador.

21 – Em Junho de 1840, mais um reinado para o Brasil, mas desta vez o imperador do Brasil era um brasileiro de apenas 15 anos de idade. Sim! Apenas isso, 15 anos de idade. Como eu disse antes, eu gostaria que você prestasse atenção na letra do hino da proclamação da republica.

A letra do Hino da Proclamação da República  foi escrito por Medeiros de Albuquerque e a música composta por Leopoldo Migues.

HINO DA PROCLAMAÇÃO DA REPÚBLICA

Seja um pálio de luz desdobrado, Sob a larga amplidão destes céus.
Este canto rebel, que o passado Vem remir dos mais torpes labéus!
Seja um hino de glória que fale, De esperanças de um novo porvir!
Com visões de triunfos embale, Quem por ele lutando surgir!
Liberdade! Liberdade! Abre as asas sobre nós,
Das lutas na tempestade, Dá que ouçamos tua voz

Nós nem cremos que escravos outrora, Tenha havido em tão nobre País…
Hoje o rubro lampejo da aurora, Acha irmãos, não tiranos hostis.
Somos todos iguais! Ao futuro, Saberemos, unidos, levar
Nosso augusto estandarte que, puro, Brilha, ovante, da Pátria no altar !
Liberdade! Liberdade! Abre as asas sobre nós, Das lutas na tempestade
Dá que ouçamos tua voz

Se é mister que de peitos valentes, Haja sangue em nosso pendão,
Sangue vivo do herói Tiradentes, Batizou neste audaz pavilhão!
Mensageiro de paz, paz queremos, É de amor nossa força e poder,
Mas da guerra, nos transes supremos, Heis de ver-nos lutar e vencer!
Liberdade! Liberdade! Abre as asas sobre nós,

Das lutas na tempestade, Dá que ouçamos tua voz
Do Ipiranga é preciso que o brado, Seja um grito soberbo de fé!
O Brasil já surgiu libertado, Sobre as púrpuras régias de pé.
Eia, pois, brasileiros avante! Verdes louros colhamos louçãos!
Seja o nosso País triunfante, Livre terra de livres irmãos!
Liberdade! Liberdade! Abre as asas sobre nós!
Das lutas na tempestade, Dá que ouçamos tua voz!

22 – Liberdade, liberdade! Abre as assas sobre nós. Você acha que é pouca coisa este clamor por liberdade? Você já se sentiu aprisionado por alguma coisa?  Eu imagino neste instante o que tem acontecido com muitas pessoas, como aqueles que lutaram por algo, que deram as suas vidas por algo. Estas pessoas se sentiram recompensadas. Houve na verdade grandes heróis neste país. Que deram as suas vidas, que lutaram para que hoje você tivesse um país na condição que esta.

23 – A liberdade de expressão, a liberdade de escolha. Homens perderam as suas vidas. No caso de Tiradentes e tantos outros que lutaram por um Brasil melhor, por um país melhor, por uma sociedade mais justa. Talvez se hoje eles vissem o país, a maneira que está poderiam até se envergonhar e dizer: “Não foi por isso que eu dei a minha vida. Não foi por isso que eu me entreguei”. Oh! O Senhor Jesus Cristo, quando ele viu esta humanidade escravizada nas mãos de satanás, e ele veio e pagou o preço, se entregou por nós. “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. Agora já pensou tudo que Deus fez por você? E ele olha para a tua vida e vê que você não quer mudar de situação, não quer mudar de vida quer continuar do mesmo jeito. Já pensou se Jesus se pergunta: “Não foi para isso que eu fui a terra não foi para isso que eu morri, não foi para isso que eu derramei o meu sangue, não foi para a humanidade estar nesta situação. Pai contra filho, nação contra nação, reino contra reino. Maldição por todos os lugares. Mortes, decepções, estrupo”.

24 – Foi para isso que Jesus morreu? Para te ver na situação que você está? Não meus amigos! Ele veio trazer liberdade. A humanidade é quem deseja continuar como escrava. Deus fez o homem, o homem fez os escravos. Sim senhores! Esta você aprisionado por alguma coisa? Grite por liberdade neste instante. Proclame a liberdade através de Cristo Jesus assim como os heróis do país lutaram pela independência.

25 – Certa vez eu fui de perto ver uma marcha de 7 de Setembro, quando eu estava evangelizando em uma cidade, e era o Dia da Independência, a comemoração de sete de Setembro e eu fui assistir aquele desfile. E eu acordei de manhã cedo para ver aquilo. E chegando ali naquela avenida quando eu vi aqueles desfiles das escolas, e as professoras treinam tanto tempo, e aquelas crianças todas vestidas, todas arrumadas marchando ali. E daí a pouco veio aquela tropa representando os índios brasileiros. Sim! Com suas roupagens, com suas penas. Daí a pouco veio o bloco dos negros representando os africanos, escravizados com suas algemas com cordas amarradas no pescoço, com vergões em suas costas. Aquilo estremece qualquer coração que sabe o que é um dia estar preso e se sentir livre de espírito.

26 – Quando veio o bloco dos soldados da marinha, do exercito todos marchando. Sim! Ao som daquela música. Todos uniformizados, bem treinados. Uma fila passava por dentro da outra sem errar o passo. Eu ali no meio de tantos desconhecidos às lagrimas vieram aos olhos por ver uma coisa tão bonita, tão completa, tão perfeita. E quando eu vi aquelas pessoas marchando em homenagem ao dia da independência do Brasil, eu fiquei pensando na independência que Deus nos deu através de Jesus Cristo.

27 – E eu penso nos soldados celestiais, nos soldados da cruz de Cristo. Homens e mulheres nesta terra que compõe a nação santa, o sacerdócio real, que já foram libertos e estão aguardando o dia de reinar com Ele aqui na terra. E eu pensei como não deveria estar esta igreja unida, estar junta, marchando, calçados os pés na preparação do evangelho da paz, estando cingidos com a couraça da justiça, com o capacete da salvação na cabeça, com o escudo da fé, e a espada do espírito marchando na marcha do evangelho. Ao som do hino que fala da cruz e do sangue expiatório de nosso Senhor Jesus Cristo.

28 – Eu pensei… como Deus esta vendo a nossa marcha aqui na terra? Como estamos marchando proclamando a nossa liberdade cristã? Que posição temos assumido? Será que na verdade estamos proclamando para este mundo que nós como nação santa, como povo de Deus, temos sido livres pelo sangue do cordeiro? Como estamos agindo? O que estamos fazendo nesta terra? Será que temos sido treinados? Será que não estamos errando a marcha? Será que não estamos pisando no calo do outro? Será que estamos pisando aonde os apóstolos pisaram? Será que estamos pregando o mesmo evangelho que eles pregaram? Estamos batizando da mesma maneira? Estamos nós crendo na mesma doutrina apostólica? Estamos marchando ao ritmo do evangelho apostólico, do fundamento dos apóstolos e dos profetas? Se não estamos, não temos nenhuma liberdade para comemorar.

29 – “Porque vós irmãos, fostes chamados a liberdade. Porem não uses da liberdade para dar lugar a carne, antes pelo amor servi-vos uns aos outros”. (Gálatas: 5: 13).

Para a liberdade Cristo nos libertou. Permanecesses, pois firmes, e não vos dobreis novamente ao jugo da escravidão”. (Gálatas: 5: 01)

Paulo disse: “Foste chamado sendo escravo não te de cuidado. Mas se ainda podes te torna-se livre aproveita tal oportunidade”. (I corintios: 7: 21)

30 – Mesmo com o Brasil no reinado, mesmo saindo do Brasil colónia, passando pela independência, passando pela republica, mesmo assim o país continuou sendo um país de escravos. Porque continuavam escravizando aqueles que trouxeram da África. O povo clamava por liberdade. As tribos indígenas clamavam por liberdade. Os negros que foram trazidos da África, que foram trazidos a força, tiveram que abandonar esposas e filhos e a sua terra natal, entrar em navios fétidos. Chegaram aqui neste país para trabalhar nos cafezais e canaviais. Para enriquecer os ricos.

31 – No dia 13 de Maio de 1888 sem suportar mais tanta pressão o Brasil declara o fim da escravidão. Quem assina a lei áurea é a princesa Isabel, já que Dom Pedro II estava fora do país. Agora o fim do império esta muito próximo. A escravidão que sustentava o reinado ia acabar sendo o principal responsável pelo seu fim. A partir de então ela virou assunto para os livros de historia.

32 – Da para acreditar que por mais de 300 anos o negro sustentou muita gente rica, ajudou o desenvolvimento da economia brasileira sem ganhar nada, e ainda por cima era maltratado? Vocês conseguem imaginar isso meus amigos? Pois é. Menos de 100 anos depois do descobrimento, o Brasil era um território enorme, cheio de riquezas, mas precisava de alguém para colocar a mão na massa. Os índios que não queriam nem saber de ser explorados, viviam fugindo. Deram lugar aos negros africanos no trabalho pesado.

33 – Sem os escravos que trabalhavam duro nas lavouras, minas e engenhos e fazendas produtoras de canas, o Brasil e outros países que compravam os nossos produtos não teriam açúcar, algodão, ouro, gado ou café. Como os escravos não recebiam nem um centavo, o trafico de negros cativos era um negocio bastante lucrativo e terrível. Milhares de negros foram trazidos da África em condições desumanas, e eram tratados como verdadeiros animais aqui no Brasil. Isto provocou revolta. Meus amigos é vergonhosa a historia do nosso país!

34 – Sim! Meus amigos, o comercio de escravos já acontecia a um tempão. Foi só em 1889 que a coroa portuguesa deu autorização para que cada senhor de engenho compra-se apenas 120 negros por ano. Você não imagina o trafico que isso virou. Era bem pior que o trafico de drogas. Os escravos vindo da África eram adquiridos como escambo. Mas o que era escambo? Como se troca uma figurinha por outra. O escambo era isso. Só que os negros eram trocados principalmente por fumo ou por aguardente. Já imaginou você isso? Um ser humano sendo trocado por uma garrafa de cachaça. Pior do que isso era a forma que os escravos vinham para o Brasil, isso é quando eles conseguiam chegar vivos. Você precioso leitor, conhece o oceano atlântico? É aquele “marzão” que separa o Brasil da África. Você pode imaginar os pobres escravos trancafiados e amontoados num porão de um navio atravessando este oceano durante meses, comendo coisas horríveis e contraindo doenças? E os pobres escravos não imaginavam que o pior ainda estava por vir quando chegassem em terra firme.

35 – Sim! Mas meus amigos, as revoltas estouraram as senzalas não agüentaram. E o que aconteceu é que finalmente no dia 18 de Maio de 1888 a princesa Isabel Cristina Leopoldina Augusta Micaela Gabriela Rafaela Gonzaga de Orleans… Ufa! Cansativo dizer este nome, mas eu vou repetir para vocês. Finalmente no dia 18 de Maio de 1888 a princesa: Isabel Cristina Leopoldina Augusta Micaela Gabriela Rafaela Gonzaga de Orleans, mais conhecida como: Princesa Isabel. Assinou a lei áurea que aboliu definitivamente a escravatura no Brasil. Sim! Os negros puderam então comemorar, se sentiram livres, livres. Não precisavam mais ser trocados por cachaça.

36 – A historia do nosso país não é diferente da historia da igreja. Não deixe nada nem ninguém te escravizar. Você foi chamado para ser livre, aproveite esta liberdade que Jesus Cristo te deu. A liberdade no espírito não te leva a outro lugar, a não ser por livre e espontânea vontade, com inspiração divina no teu coração você se dirige unicamente a palavra. Jesus disse: “Se o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres, Conhecereis a verdade e a verdade vos libertara”.

37 – Deus enviou seus heróis a esta terra. Para a sua igreja, para sua nação santa para a tirara da escravidão. Homens bem intencionados se levantaram querendo dominar os outros homens. Acobertados com uma capa de religião, com uma capa de ministros de Deus. Estes homens desencaminharam o povo. Levaram eles da verdade, para milhões e milhões de kilometros das escrituras. Fazendo do povo escravos, fazendo o povo obedecer suas próprias leis, suas próprias tradições invalidando assim a palavra de Deus.

38 – Durante as eras da igreja de tempos em tempos Deus enviou um homem, um mártir, um líder para dirigir o povo, para trazer o povo para a Palavra. Deus enviou homens como: João huss. Enviou homens como: João Calvino, João Wesley e tantos outros. Martinho Lutero, levantando assim a reforma protestante e provou que eles deveriam ser livres em Jesus Cristo. Não aprisionados na religião.

39 – E no final de tudo Ele enviou o último mensageiro: O sétimo anjo de Apocalipse capitulo 10 e versículo 7. Um homem com o ministério de Elias, que deveria abrir a porta da revelação para as pessoas e mostrar tudo aquilo que tinha ficado oculto durante todos estes tempos. A revelação dos sete selos te mostra quem você é. Te mostra a verdadeira liberdade para começar, que diz que você esta fora do sistema laudiceiano. Deus enviou uma mensagem para dizer a você que você é livre. Permaneça livre. Não deixe que nem um homem, nenhuma religião, nenhum pensamento próprio prender a você, prender a tua alma. Seja livre.

40 – Deus te abençoe precioso leitor no nome de Jesus Cristo, que a sua graça, que a sua misericórdia, que a sua compaixão possa neste instante estar na sua vida. Que a liberdade que Jesus Cristo te deu possa ser vivenciada no Espírito Santo. No nome de Jesus é a minha oração. Amém!

                                                       FIM.

Epílogo –

Ir. Rosendo“Há alguns anos encontrei na Internet um site escolar, onde tinha uma matéria com este título, “A História do País contada de uma forma diferente” de forma simples e irreverente o professor parecia está em uma sala de aula a falar com sua plateia de adolescentes. Ao ler o texto vi que poderia utilizar parte daquilo como um alerta, fazendo uma analogia entre nossa história e a religião. Nunca mais encontrei a fonte, (site) por mais que eu tenha pesquisado, a parte que separei está inserida neste texto, e no áudio. Muitas pessoas já me procuraram fazendo pedido desta matéria, e elogiando o aprendizado nela contida. Espero que você também possa divulgar para que mais pessoas tenha acesso”.

 Irmão Rosendo

Faça o download do audio completo  – CLIC AQUI

radiounife@hotmail.com

 Transcrição do áudio para texto: D. Felipe

Revisão: D. Rosendo

www.doutrinadamensagem.com

 

A OBRA PRIMA – 05/07/1964 – 76 Como vemos os dias escurecendo, como vemos as sombras descendo… Quando eu predigo que o sol dará somente mais algumas voltas e esta nação se acabará. Vocês sabem, ontem, quatro de julho, foi quando Thomas Jefferson assinou a Declaração de Independência, ele e o outro quadro que estava com ele, e o Sino da Liberdade tocou, e fomos declarados uma nação independente…? De acordo com a história nestes últimos tempos não tem havido democracia alguma que haja durado mais de duzentos anos. E isto foi em 1776, quatro de julho. E nos resta somente onze anos. Acontecerá isto? Não! Não pode! Onze anos, se acontecer, isto quebrará toda a história.

A maior batalha jamais pelejada –
99 O grande momento de: “À Carga”, está à mão. Aleluia! Os soldados estão com suas armaduras brilhando, com seus estandartes de cores! Nesta manhã, a fé e a dúvida estão se colocando em ordem para a batalha neste tabernáculo. A dúvida está de um lado, e a fé do outro. SOLDADOS: ocupem cada um seus lugares! Aleluia! Nosso Capitão, a Estrela da Manhã nos guia para diante! Ele nunca! Ele nunca tem retrocedido! Ele nem se quer conhece a Palavra “retirada”. Ele não tem porque retroceder. Amém! Certo! É A MAIOR BATALHA JAMAIS PELEJADA, e isso é o que está sucedendo aqui dentro agora mesmo, entre a vida e a morte; sim senhor! Entre a cura e a enfermidade; entre a fé e a dúvida. Oh, irmão, entre a liberdade e a escravatura! A BATALHA ESTÁ RUGINDO! Soldados: façam brilhar suas espadas! Tirem o brilho de suas armaduras! Deus está preparando a Seus soldados. Amém! Deus também unge a seu exército.

A Influencia de um homem sobre o outro –
83 Por volta de cinco anos atrás eu estava em Ohio, e eu estava tendo uma reunião ali em cima no…Qual é o nome daquele lugar onde eu a tive ali naquilo? [Alguém diz: “Chataqua” – Ed.] Chataqua. E eu estava ouvindo a um noticiário no hotel, e disse: “A flor da liberdade morreu nesta tarde em uma corte aqui em Ohio.”
O povo amish, eles não crêem em enviar seus filhos para estas escolas públicas. Eles têm suas próprias escolas. E nesta certa comunidade onde estes estavam, não tinham nenhum ensino secundário. É a lei de Ohio e Indiana (eu acho que é uma lei nacional) que todas crianças devem ir à escola até que elas tenham dezesseis anos. E este homem tinha dois filhos, menino e menina, que não tinham dezesseis anos; e eles recusaram enviá-los para as escolas públicas onde ensinam as éticas de Darwin (que o homem proveio de uma única célula, ser um macaco; isso é tudo o que é, apenas um macaco exaltado e…) E deste modo, eles não concordavam com isso, e eles não deixavam seus filhos ouvirem a isto. E então os tribunais os prenderam. E este pequeno juiz convencido disse a este velho pai e mãe de idade, com seu corte de cabelo em forma de pote de barro e usando macacão, ele disse: “Meu senhor, este estado de Ohio tem uma lei que diz que a criança deve freqüentar a escola até que ela tenha dezesseis anos,” e disse: “o senhor recusa enviar seus filhos. O que o senhor responde?”
84 Ele disse: “Honrável senhor, eu respeito as leis deste amável estado no qual eu sou um habitante.” Ele disse: “Porém nós viemos aqui há anos atrás, nossos antepassados, pela liberdade de religião, e essa é a razão que nós estamos aqui, pela liberdade de religião. Nossa religião ensina-nos que nós não cremos que nós viemos dos animais para ser homem que…Nós cremos que nós fomos criados na imagem de Deus. Sendo assim, é contra a nossa crença religiosa enviar nossos filhos a uma escola que ensina tal coisa. Sendo assim, nós não temos nenhum ensino secundário aqui para nossos filhos irem. E não é porque nós não o respeitamos; nós respeitamos o que o senhor crê; porém para nós, nós não cremos nisso, e nós não desejamos que isso seja ensinado para os nossos filhos.”
Ele disse: “Ou o senhor envia seus filhos à escola ou o senhor e sua esposa passarão dois anos na penitenciária do estado.” Disse: “Qual é a sua decisão?”
Ele disse: “A mãe e eu passaremos os dois anos.” E eles se viraram e começaram a sair.
O velho juiz deve ter se sentido um pouquinho condenado, então ele disse: “Lembre-se, não diz a sua Bíblia: ‘Dai a César o que é de César’?”
E o pai se voltou, e ele disse: “E a Deus… ?”
O homem do noticiário disse: “Bem, então a liberdade… ”
E o juiz disse: “Eu os sentencio a dois anos.”
Ele disse: “Então a liberdade – a flor da liberdade morreu nesse tribunal desta tarde.”

SOBRE LIBERDADE

A Influencia de um homem sobre outro – 79 Você viu esta ordem do tribunal esta semana aqui em Indiana? Que vergonha! Menos do que quinze anos atrás uma família aqui em Port Fulton (eu acho que alguns da família estão assentados aqui hoje à noite) – aqui em Port Fulton, enviaram uma menininha da escola para casa por usar shortes na escola. E para – esta semana estão tentando processar e tirar para fora da escola (e conseguiram), uma menininha que recusou usar shortes na escola. Qual é o problema com a nossa nação? Eu pensei que esta fosse uma terra de livres; eu pensei que nós tivéssemos direito – liberdade de religião.

PODER DE TRANSFORMACAO – 31/10/1965
299 Se sou americano, eu suporto toda a sua vergonha, eu suporto toda a sua glória. O que quer que ela tenha sido, eu sou. Eu sou cidadão americano. Eu estive… Eu desembarquei em Plymouth Rock. Sim, senhor. Sim, eu desembarquei em Plymouth Rock. Eu assinei o… Eu estive no salão aquela manha quando assinaram a Declaração de Independência. Eu a assinei com eles. Eu sou parte de sua economia. Eu assinei a Declaração de Independência. Isso mesmo. Eu estive com Washington, em Valley Forge, quando ele atravessou o rio. Eu estive ali essa manhã. Eu orei com ele. Eu estive. Vocês estiveram, como americanos. Se você é americano, você esteve. Porque, tudo que a América é, você é. Eu hasteei a bandeira – bandeira em Guam. Eu os ajudei a faze-lo. Eu tomei cada forte. Eu levei sua vergonha como revolucionário. Eu tomei cada forte. Eu levei sua vergonha como revolucionário. O que quer que ela tenha sido, eu sou.

HOJE TEM SE CUMPRIDO ESTA ESCRITURA – 19/02/1965
75 Agora, veja nossa nação: O aumento de crimes, a delinqüência juvenil… Numa ocasião esta nação era a flor do mundo. Nossa democracia foi formada quando se firmou a declaração de independência; e juntamente com aqueles homens valentes do passado tivemos uma nação forte. Mas hoje esta nação está se apodrecendo, desmoronando e tremendo; e estão tomando impostos do povo para mandar dinheiro por todo o mundo para comprar a amizade de seus inimigos e logo eles nos atiram na cara. Temos visto duas guerras mundiais e estamos em caminho à terceira. A política está podre, exatamente como o profetiza Mateus 24: “Nação contra nação e reino contra reino”, e todas estas coisas que sucederiam. Agora tem que se considerar estas coisas.

Gostou? Compartilhe na rede!
Tags

9 Comments  - Clique aqui para comentar!

  • O LUGAR DE ADORACAO ESCOLHIDO POR DEUS – 20/02/1965
    132 Aí na audiência, fora, pelas linhas telefônicas, vocês deviam ver! Acho que toda pessoa aqui dentro, que eu saiba, ou a maioria delas, estão de pé neste momento. Oh, que ocasião maravilhosa! A Presença do Senhor, é isso! Onde a Presença do Senhor está, aí há liberdade, aí há independência.” O Espírito de Deus nos torna livres.

    Comentário feito por admin — 7 de setembro de 2013 @ 9:20

  • O PODEROSO DEUS DESVELADO PERANTE NOS – 29/06/1964
    24 Pág. com George Washington antecipadamente. Eu atravessei o Delaware com uma visão no coração. Somos americanos. Sim, senhor! No Valley Forge, sem dúvida que atravessei.
    Dei graças com os pais originais da Ação de Graças [Os peregrinos ao chegarem nos EUA deram graças a Deus por terem sobrevivido, estabelecendo o Dia de Ação de Graças – Trad.]; dei graças a Deus. Se sou verdadeiro americano, eu estava identificado lá naquela mesa. Se sou um verdadeiro americano, eu estava identificado quando fiquei de pé com Stonewall Jackson [Líder militar]. Se, sou um verdadeiro americano, eu estava identificado na Festa do Chá em Boston [Quando houve uma revolta] (sim, senhor!) quando recusamos ser enganados, quando… eu era um verdadeiro americano, eu estava identificado aí com isso. Sim, senhor! Oh, que coisa!
    Eu bati o Sino da Liberdade no primeiro 4 de julho [Dia da Independência dos EUA] em 1776. Eu toquei o Sino da Liberdade aqui e declarei que somos independentes. Para ser um verdadeiro americano eu tive que fazer isso. Eu estava identificado com a vergonha dele na Revolução, quando irmão lutou contra… Tenho que levar a vergonha dele do mesmo modo que tenho que levar a sua glória. Se sou americano, tenho que ser. Estava identificado com ele. Sim, senhor!
    Eu estava identificado lá em Gettysburg, quando Lincoln fez o seu discurso. Sim, senhor! Eu estive na Ilha Wake, em cima daqueles corpos sangrentos dos soldados. Eu me levantei na Ilha Wake. Em Gruam, ajudei a hastear aquela bandeira. Sou um verdadeiro americano. Amém! Tudo oque ele é, eu sou, e com orgulho disso. Sim, sem dúvida! Tudo o que foi os Estados Unidos, tudo o que ele é, ainda sou isso, para ser americano. Tudo o que ele foi, eu tenho que ser, porque estou identificado com ele.
    A mesma coisa é ser um verdadeiro cristão. Tem que se estar identificado com isso. Eu preguei com Moisés e ad-… ou com Noé e adverti o povo do juízo que se aproximava, para ser um verdadeiro cristão. Eu estive com Moisés na sarça ardente; vi a Coluna de Fogo; vi a glória Dele. Eu estava com Moisés lá no deserto. Para ser cristão, tenho que estar identificado com tudo que Deus foi, para ser cristão. Eu vi a Sua glória; ouvi a Sua voz. Não tente me afastar disso com explicações agora, porque eu estava lá. Sei do que estou falando. Eu vi o que aconteceu. Sim, senhor!
    Eu estava no Mar Vermelho quando vi o Espírito de Deus descer e de lado separar a água, não atravessando por um monte de junco, como estão tentando dizer hoje, mas atravessando um mar de mais ou menos noventa pés [27 m]. Eu vi o Espírito de Deus. Atravessei com Moisés aquela terra seca,

    Comentário feito por admin — 7 de setembro de 2013 @ 9:20

  • O REI REJEITADO – 15/05/1960
    73 Agora, o Espírito Santo era o Líder nesta nação. Esta nação costumava ser governada quando lá em… quando prepararam a declaração da independência. E havia uma cadeira a mais que se encontrava ali. Não há um pouquinho de dúvida em minha mente que, o Filho de Deus Se sentava naquela mesa, quando esta nação foi fundada com base nos princípios de liberdade de religião e liberdade para todos, e baseada na Palavra Eterna de Deus.

    Comentário feito por admin — 7 de setembro de 2013 @ 9:20

  • O SINAL – 01/07/1963 –
    34 E então podemos alugar o templo. Vamos agora descobrir se podemos, e então teremos a Convenção dos Homens Cristãos de Negócios. Então, até que as coisas se acertem no estrangeiro, vamos tentar marcar algumas reuniões pelo Sul, para janeiro, fevereiro e março, pelas regiões do Sul. E então — então vamos… porque, se começarmos agora e formos para a África… Veja, esta ocasião de Natal, para eles, é dia da independência. Veja, é — é chuvoso e ruim, e não se pode entrar ali nessa época, por isso a melhor época para ir lá é mais tarde. E então queremos começar, se pudermos, na Noruega, e descer ao redor do mundo, e chegaremos na África, terminando ali embaixo, o Senhor permitindo.

    Comentário feito por admin — 7 de setembro de 2013 @ 9:20

  • A OBRA PRIMA
    1964 – Jeffersonville – Indiana – E.U.A. – Tradução: GO
    76 Como vemos os dias escurecendo, como vemos as sombras descendo… Quando eu predigo que o sol dará somente mais algumas voltas e esta nação se acabará. Vocês sabem, ontem, quatro de julho, foi quando Thomas Jefferson assinou a Declaração de Independência, ele e o outro quadro que estava com ele, e o Sino da Liberdade tocou, e fomos declarados uma nação independente…? De acordo com a história nestes últimos tempos não tem havido democracia alguma que haja durado mais de duzentos anos. E isto foi em 1776, quatro de julho. E nos resta somente onze anos. Acontecerá isto? Não! Não pode! Onze anos, se acontecer, isto quebrará toda a história.

    Comentário feito por Doutrina da Mensagem — 7 de setembro de 2015 @ 5:55

  • A GRANDE LUZ RESPLANDECENTE
    1957 – Jeffersonville – Indiana – E.U.A. – Tradução: EUA

    24 Você sabe, Deus opera em Seu universo. Ele faz coisas acontecerem em um país, onde Ele faz tomarem forma, para apresenta-las em outro. Eis que vemos, lá no oriente, como somos informados por muitos historiadores, que estes indivíduos, os magos, assim como nós os conhecemos ser.

    Comentário feito por Doutrina da Mensagem — 7 de setembro de 2015 @ 7:09

  • A IGREJA E SUA CONDIÇÃO
    1956 – Jeffersonville – Indiana – E.U.A. – Tradução: GO
    32 E essa é a maneira que o Diabo fará. Ele tentará guiar os filhos de Deus exatamente para dentro da sordidez, porém quando chega o tempo dele morrer, ele realmente levantará uma tempestade então. Essa é a maneira que o Diabo faz isto. E essa é a maneira algumas vezes, alguma mocinha de aparência bela ou algum rapazinho insolente com uma risadinha irônica, com uma carteira de cigarros ou uma garrafa de uísque, guiaria uma mocinha para o erro, um cordeiro, com a cria de alguém, fora para o erro. “Oh, está bem. Não há nada de modo algum nessa coisa santarrona de igreja.” Porém deixe a morte golpear esse velho amigo uma vez, você o ouvirá grunhindo, gritando por todo o país. E essa é a maneira que o Diabo faz isto.

    Comentário feito por Doutrina da Mensagem — 7 de setembro de 2015 @ 7:10

  • A INVASÃO DOS ESTADOS UNIDOS
    1954 – Jeffersonville – Indiana – E.U.A. – Tradução: EUA

    163 Este país, esta nação, esta cidade, este lugar, tem se tornado tão desmoralizado que é até triste. Se eu pudesse somente expressar agora mesmo o que eu absolutamente sei que é a verdade bem aqui, isto não seria nem mesmo apresentável diante de uma audiência mista. Ou, bem aqui nesta própria cidade bem aqui; não somente aqui, porém em outros lugares, em todo lugar, isto começou a vir simplesmente. . .

    Comentário feito por Doutrina da Mensagem — 7 de setembro de 2015 @ 7:11

  • Veja o áudio desta palestra no Youtube

    https://www.youtube.com/watch?v=qqA0csHYd_U

    Comentário feito por Doutrina da Mensagem — 15 de novembro de 2016 @ 11:26

RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Dados da Matéria

Dados do Autor

Doutrina da Mensagem Admin do site doutrina da mensagem » Blog do autor. » Site do autor.