Unicista Com Cristo ou Unido com Cristo? Download PDF

“UNICISTA” COM CRISTO OU “UNIDO” COM CRISTO?

Irmão Branham

TEXTO ORIGINAL DA GRAVAÇÕES “A VOZ DE DEUS”:

…Somebody says to me, “Brother Branham, aren’t you ONENESS?” Not the organization ONENESS. But I’m ONENESS WITH CHRIST, see, but not the organization ONENESS. He paid the debt of sin. Now, in order to get ONENESS between God and man, Jesus could not do it as long as He was here in a body of flesh. So He had to become the complete sin-offering to take away the guilt of the believer, see, take it away so that the Holy Ghost could come into man, and make man and God ONENESS again…

Oneness (11/02/1962) §§ 148-149

 

TRADUÇÃO DA “PALAVRA ORIGINAL”

Unidade (11/02/1962) §§ 148-149

…alguém me disse, “Irmão Branham, não é você unicista?” Não a organização unicista. Mas sou UNICISTA com Cristo, vêem, mas não com a organização dos unicistas. Ele pagou a dívida do pecado. Agora, em ordem para obter a UNIDADE entre Deus e o homem, Jesus não poderia ter feito isto contando que Ele estivesse aqui em um corpo de carne. Então Ele tinha que se tornar a oferta do pecado completa para tirar a culpa do crente, vêem, tirar isto para que então o Espírito Santo pudesse entrar no homem, e fazer o homem e Deus UNIDOS outra vez.

 TRADUÇÃO CORRETA:

…Alguém diz para mim: “Irmão Branham, você não é UNICISTA?”. Não a organização UNICISTA. Mas estou UNIDO COM CRISTO, veja, não com a organização UNICISTA. Ele pagou a dívida do pecado. Agora, a fim de obter a UNIDADE entre Deus e o homem, Jesus não poderia fazer isso contanto que Ele estivesse aqui em um corpo de carne. Então Ele teve que Se tornar a oferta de pecado completa para tirar a culpa do crente, veja, tirar isto para que então o Espírito Santo pudesse entrar no homem, e tornar o homem e Deus UNIDOS novamente.

 A palavra “oneness” pode ser traduzida por “unicismo”, “unicista”, “unidade”, “unificação”, “união”; “identidade”…, etc, tudo irá depender do seu contexto.

 Aqui neste caso, o irmão Branham fez o que se chama de trocadilho com a palavra “oneness”, para dizer algo similar, mas com outro sentido. Para saber adequar apropriadamente isso para o nosso idioma, só o que um bom tradutor precisaria fazer era contextualizar com a oração subsequente, quando o irmão Branham vai falar sobre de que maneira Jesus conseguiu fazer uma “unidade entre Deus e o homem”. Ele usou a mesma palavra “oneness”; portanto é obvio que a tradução para a oração anterior deveria ter sido “unido com Cristo” para que houvesse assim uma correlação de pensamentos, e não “unicista com Cristo”, como foi traduzido, uma vez que ele explicou que o que lhe possibilitou estar unido com Cristo ou Deus foi o fato de que Jesus teve que se tornar uma oferta pelo pecado.

Se essa oferta pelo pecado nos tornasse “unicista com Cristo”, então a fim de manter tal tradução e pensamento, a oração a seguir deveria ter sido traduzida da seguinte maneira: “a fim de obter o UNICISMO entre Deus e o homem”; e onde foi traduzido “tornar o homem e Deus UNIDOS novamente”, deveria ser traduzido como “tornar o homem e Deus UNICISTA novamente”.

Com a tradução que foi feita, houve portanto um rompimento de linguagem e de pensamento, tendo em vista que no § 12 do texto original, o irmão Branham disse: The word oneness means “to be one with.” Oneness, “united.” (Tradução: A palavra “unidade” significa “ser um com”. Unidade, “unido”.) Portanto toda a vez que ele mencionasse essa palavra “oneness”, a fim de respeitar o pensamento proposto pelo título do sermão, ela deveria ser mantida com esse sentido sempre que se referisse a união ou identidade entre dois conceitos distintos.

Desta forma, a tradução “unicista com Cristo”, apresenta dois erros, sendo o primeiro de sintaxe, pois a disposição da palavra escolhida quando combinada com uma relação lógica das frases, não transmitiu adequadamente um significado mais compreensível. Erros como este são comumente chamados de “solecismo” que é quando ocorre uma “inadequação na estrutura sintática da frase com relação à gramática normativa do idioma”.

O outro erro cometido aqui foi o de interpretação, que é o mais preocupante. Como se trata de um sermão doutrinário, nestes casos, o tradutor necessita conhecer a mensagem do autor. Em inúmeros sermões o irmão Branham disse que não era “unicista”, como pertencente ou simpatizante da doutrina que leva esse nome:

Perguntas e Respostas – A Imagem da Besta(15/05/1954)

EU NÃO SOU UM UNICISTA. Não, senhor. Vocês pessoas trinitárias tirem isso de vocês. EU NÃO SOU UM UNICISTA. Não, senhor. EU NÃO SOU UM UNICISTA, nem um trinitário. Eu creio no que a Bíblia diz. Isso é corretamente. Amém.

 A Era da Igreja de Esmirna(6/12/1960)

Agora, EU NÃO SOU UNICISTA. Eu não creio no unicismo da maneira que eles creem.

 A Divindade Explicada (19/01/1961)

Muitos de vocês que ouvem isto diriam: “O irmão Branham é um unicista”…  EU NÃO SOU. Eu acho que ambos estão errados, ambos a unidade e a trindade. Não para ser diferente, mas é sempre no meio da estrada. Como Isaías disse; Isaías 35 disse: “Haverá uma estrada”. E vocês irmãos nazarenos, e assim por diante, vocês dizem. “A grande e antiga estrada da santidade”. Me perdoe. Ela não diz “A estrada da santidade”. Ela diz: “Haverá uma estrada e… (“e” é uma conjunção) e um caminho, e ele será chamado o Caminho da Santidade”. Não é “a estrada da santidade”. O “caminho” está no meio da leitura. Cada lado é onde os declínios são encontrados. É aí onde vocês unicistas foram para um lado, trinitários foram para o outro lado, mas a verdadeira mensagem se encontra no centro da estrada!

 A Aliança de Abraão Confirmada (18/03/1961)

Agora, eu não sou um… não… E eu digo… E algumas pessoas dizem: “Ele é um ‘Só Jesus’.” Você está enganado aí.Eu não tenho esse tipo de espírito em mim. Existe essa coisa ímpia e dogmática que… Não, senhor. EU NÃO SOU UNICISTA. NEM UM POUCO.

Perguntas e Repostas Nº 9 (28/06/1959) § 19.

Agora, alguém tem dito que o irmão Branham é um “unicista”. Não, senhor, EU NÃO SOU UM UNICISTA. Eu não creio que Jesus poderia ser o Seu próprio Pai.

Mensagem da Graça (27/08/1961) § 37

Agora, há um grupo de pessoas que se chamam os unicistas ou os Só Jesus. Eu não concordo com eles sobre as suas teorias.

Gafanhoto, Locusta e Lagarta(23/08/1959)

O Tabernáculo Branham pode fazer o que eles quiserem. Eu quero que eles creiam em Deus; eu quero que eles venham junto. Mas, se eles não quiserem, eu não vou me comprometer com eles em suas coisinhas mesquinhas. Vou ficar com Deus. “O metodista… O que você irá fazer, irmão Branham. O – o trinitário pentecostal?” Eu provei que eu os amo. Eu fui até eles, e enviado para as Assembléias de Deus e para a Igreja de Deus… “E se o unicista, você discorda com o unicista por causa de sua posição assim?”. Sim, senhor. Jesus teve um Pai; Ele era Deus.

Perguntas e Respostas Sobre Hebreus(25/09/1957) §§ 145-146.

Agora, o ensino unicista da igreja unicista, eu com certeza discordo com eles, pensando que Jesus é um como seu dedo é um. Ele teve que ter um Pai. Se Ele não tivesse, como poderia Ele ser o Seu próprio Pai?

Portanto dizer que ele era “unicista com Cristo” cria uma contradição a todas àquelas declarações onde ele afirmava não ser um seguidor daquela doutrina. Embora no inglês a palavra usada seja a mesma, por outro lado “unicista” e “unido” são palavras que em nosso idioma possuem sentidos próprios e independentes.

Porém a razão principal de estarmos apresentando esse problema não é de forma alguma depreciar o trabalho de tradução que foi feito, mas porque já é sabido que alguns ministros estão se utilizando desse erro de tradução para fazer afirmações que não condizem com esta Mensagem, no sentido de incentivar os crentes da Mensagem a se intitularem “unicistas”, sob a falsa insinuação de que William Branham houvesse assim declarado ser, não dando a esse termo o verdadeiro sentido que lhe pertence. Consequentemente corre-se o risco de fazer com que o sentido da palavra se perca totalmente, fazendo o irmão Branham afirmar o que ele não disse, a saber, de que ele era um unicista, embora também é sabido que tais ministros, conscientes ou não, tem demonstrado uma simpatia com a mencionada doutrina, a qual destoa inteiramente da Mensagem pregada por William Branham.

Quando uma palavra deixa de ter o seu verdadeiro sentido, tudo mais está perdido.

Um outro exemplo de trocadilho muito conhecido foi o que o Senhor Jesus usou com o nome de Pedro quando Ele disse: “Tu és Pedro, e sobre essa pedra edificarei a Minha igreja”. (Mateus 16:18) No idioma aramaico original Jesus Se dirigiu a Pedro chamando-o de “Cefas”, nome que Ele pessoalmente havia dado a Pedro, que quer dizer “pedra”. Para se evitar aqui um solecismo, criou-se no latim a palavra “Petrus” para se referir a Pedro. “Tu es Petrus, et in petram istam exegeri ecclesiam meam”. Entretanto, a primeira igreja organizada da história resolveu então interpretar esse trocadilho do Senhor para sugerir que Ele estivesse fazendo do próprio Pedro o primeiro líder principal, uma espécie de pedra ou mesmo um papa da igreja. E é interessante ver como esse mesmo espírito babilônico em nossos dias parece estar rondando os filhos de Deus com uma sutileza muito parecida, para por meio de uma tradução fazer de uma falsa doutrina a sua “pedra de esquina”.

Estamos atentos a toda sutileza carnal que vem sendo utilizada pelos falsos ungidos destes últimos dias, que formulam suas próprias concepções da Mensagem levando o povo de Deus a dar ouvidos a um sonido incerto.

 Diógenes Dornelles

 

http://diogenestraducoes.webnode.com.br

www.doutrinadamensagem.com

perguntas e sugestões, envie para os e-mails:

diogenes.dornelles@yahoo.com.br

ou para

doutrinadamensagem@gmail.com

Gostou? Compartilhe na rede!
Tags

Nenhum comentário  - Clique aqui para comentar!

No comments yet.


RSS feed for comments on this post. TrackBack URL

Leave a comment

Dados do Autor

Doutrina da Mensagem Admin do site doutrina da mensagem » Blog do autor. » Site do autor.